Este site utiliza Javascript. Se você está vendo esta mensagem, é provável que a opção JavaScript no seu navegador esteja desativada. Para uma melhor visualização deste site, certifique-se de que o Javascript está habilitado para o seu browser.
Você está em: Início  >  Institucional  >  Gestão Socioambiental
Gestão Socioambiental

O Superior Tribunal de Justiça baseia suas atividades nos eixos temáticos da Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P, programa do Ministério do Meio Ambiente, criado em 1999, que tem como foco principal a adoção de novos padrões de consumo por parte do gestor público.

Gestão de resíduos

O STJ possui um trabalho consolidado de gestão de resíduos sólidos que consiste na conscientização sobre a importância da coleta seletiva e doação do material reciclável para cooperativas de catadores de materiais recicláveis, em consonância com o Decreto nº 5.940/2006.

São realizadas, ainda, campanhas específicas de gestão de resíduos voltadas ao corpo funcional, como a Campanha Ecotrônico, que recolhe resíduos eletrônicos; o Projeto Biguá, em parceria com a Caesb, que coleta óleo de cozinha usado; o papa-cartões, que recolhe cartões de PVC. Além da Campanha Semanas de Descarte, cujo objetivo é sensibilizar quanto ao consumo consciente e planejamento racional de materiais e o STJ Reutiliza, ação voltada ao reaproveitamento de material inservível ou não reciclável para a produção de novos produtos ou insumos.

Licitações sustentáveis

Todos os processos de compras e aquisições do STJ são analisados pela Assessoria de Gestão Socioambiental em parceria com as unidades administrativas, desde a avaliação da necessidade da compra, passando pela revisão dos projetos básicos e termos de referência e análise do tipo de material utilizado nos bens com eventual sugestão de melhores opções disponíveis no mercado, até a destinação dos resíduos pela empresa contratada. A cada pedido de compras, reavalia-se a necessidade da aquisição e, se possível, sugere-se a substituição dos produtos por outros produzidos com materiais sustentáveis.

Clique aqui para baixar o Guia Prático de Licitações Sustentáveis do STJ.

Qualidade de vida no ambiente de trabalho

O STJ realiza uma série de ações para aumentar a qualidade de vida no trabalho, como a Feira Orgânica, que oferece produtos orgânicos incentivando a alimentação saudável e a promoção do meio ambiente equilibrado, e o STJ Solidário que realiza ações de voluntariado e de capacitação de colaboradores terceirizados (Educação de Jovens e Adultos a Distância, Alfabetização de Adultos e Inclusão Digital). Além da AGS, outras unidades também desenvolvem ações nesta área.

Sensibilização e Capacitação

Como parte dos esforços de sensibilização e capacitação, e ainda como ferramenta de disseminação de boas práticas socioambientais, o STJ realiza uma série de eventos sobre a temática socioambiental, visando incentivar a participação individual e coletiva na preservação do meio ambiente e uso sustentável dos recursos naturais e bens públicos e conscientizar sobre a importância da adoção de práticas sustentáveis. Destacam-se o I e II Seminário de Planejamento Estratégico Sustentável do Poder Judiciário realizados, respectivamente, em 2014 e 2015. Do primeiro seminário resultou a minuta da Resolução CNJ n. 201/2015, e o segundo discutiu sua aplicabilidade.

Clique aqui para baixar o material do III Seminário de Planejamento Estratégico do Poder Judiciário.

Uso racional de recursos naturais e bens públicos

Com o objetivo de trabalhar este eixo foi criada a Campanha Consumo Consciente – Gestão mais Racional, que tem como objetivo combater o desperdício e promover o gasto público eficiente por meio da inserção de critérios de sustentabilidade nas atividades do Tribunal. Com base no consumo de cada unidade e seu impacto no valor total consumido pelo STJ, a AGS desenvolve palestras customizadas sobre a importância do planejamento de materiais, combate ao desperdício e mudanças de comportamento que influenciem nos padrões de consumo, otimizando a gestão nas unidades de trabalho.

A campanha, realizada em conjunto com a virtualização dos processos e com o outsourcing de impressoras, resultou numa economia de mais de R$ 6 milhões de reais em apenas dois anos de realização e ganhou o primeiro lugar do 5º Prêmio Melhores Práticas de Sustentabilidade da A3P, na categoria “Inovação na gestão pública”, do Ministério do Meio Ambiente.

 

Entre em contato com a Assessoria de Gestão Socioambiental
(61) 3319-6781 / 6095
stj.socioambiental@stj.jus.br